Fundo de Investimento Simples

Definição

Os fundos que têm o sufixo “Simples” no nome foram criados em outubro de 2015 pela Comissão de Valores Mobiliários. Eles devem ter 95% do patrimônio em títulos da dívida pública e ativos de renda fixa de instituições financeiras que possuam classificação de risco equivalente aos títulos públicos federais, de acordo com a opinião do gestor.

O objetivo da CVM ao criar os fundos simples era que fossem fundos seguros e de baixo custo: o primeiro acesso do investidor ao mercado de capitais. Para isso, a autarquia autorizou que investimentos no produto sejam feitos sem assinatura do termo de adesão, assim como sem preenchimento do questionário de perfil do investidor, o suitability, obrigatórios para os demais fundos. Os gestores também foram liberados de enviar cartas aos investidores, liberados para se comunicar principalmente por meios eletrônicos.

Pela necessidade de baixo risco, os fundos Simples em geral investem apenas em títulos pós-fixados, que acompanham a Selic, assim como os fundos DI. Nos bancos, a aplicação mínima dos primeiros fundos simples é baixa, mas a taxa não: chega a ultrapassar 2% ao ano.

Empiricus

FGTS – Onde investir o seu saldo?

Caro leitor, a iniciativa do governo de liberar o saque de contas inativas do FGTS é uma boa notícia não só para quem precisa quitar dívidas, mas também para quem deseja investir esse dinheiro em aplicações que tragam um retorno real.